VIOCEMA



As empresas que produziram brinquedos de faroeste nos anos 60 e 70, e que se tornaram famosas por isto, foram a Casablanca e sua sucessora Gulliver. 
 

No entanto, outros fabricantes também atuaram nesta linha de produtos como, por exemplo, Trol, Estrela, Educa, Papai Noel e Indústria de Brinquedos Comanche. 
 

Em artigo anterior (Fort Rin Tin Tin), tive a oportunidade de abordar o caso da Trol. Desde que escrevi aquele artigo, tive oportunidade de adquirir de um amigo um exemplar do “Fort Sioux”. Estou evoluindo nas pesquisas sobre este brinquedo, mas todas as indicações que tenho até o momento apontam para o fato de que o “Fort Sioux” é o antecessor do Fort Rin Tin Tin, ambos lançados pela Trol. Se alguém que vier a ler este artigo tiver mais informações sobre esse brinquedo, agradecerei o contato. 
 

No presente artigo falarei um pouco dos produtos da Viocema. 
 

Poucos são os apreciadores do gênero faroeste que sabem da existência da Viocema. Muitos acreditam que apenas Casablanca e Gulliver atuaram neste segmento. Outros (menos) sabem da atuação da Trol no segmento faroeste e acreditam que brinquedos como Gunsmoke e General Custer eram por ela produzidos. Eram, na verdade, produzidos pela Viocema. 
 

Conheço apenas dois produtos lançados pela Viocema, o Gunsmoke e o conjunto General Custer, citados acima, conjuntos estes que serão comentados neste artigo. 
 

Interessante ressaltar que, assim como no caso da Trol, as figuras lançadas pela Viocema eram as mesmas (fôrmas) lançadas por Casablanca/Gulliver, apenas com pintura de qualidade inferior. 
 

Figuras da Viocema que nunca vi com outras marcas foram: o médico, e mulher e o xerife do conjunto Gunsmoke (apresentados adiante) e uma figura montada, com os braços erguidos, que representava, muito mal, o General Custer. Esta figura do General conheci com camisa vermelha e com camisa azul, ambas com calças brancas. 

 

GUNSMOKE


Primeiro, alguns comentários sobre a série de televisão – Gunsmoke – que deu origem ao brinquedo. 
 

Gunsmoke foi a série de televisão, ao longo de toda a história da TV mundial, que ficou mais tempo sendo produzida – 20 anos, de 1955 a 1975. A 2a série de maior duração da história foi Bonanza, com 13 anos. 
 

Foram produzidos 633 episódios, sendo em preto e branco nos primeiros 11 anos da série, e em cores nos restantes 9 anos. 
 

Os personagens principais da série, retratados no brinquedo, eram: 
Xerife Matt Dillon - Ator: James Arness
Galen "Doc" Adams - Ator: Milburn Stone 
Kitty Russel - Ator: Amanda Blake

O sucesso desta série era imenso, e acredito que muitos admiradores de brinquedos de faroeste possuem boas recordações de seus episódios.

 O sucesso da série de televisão passou logo para o mundo dos quadrinhos, com o lançamento de séries baseadas em Gunsmoke, no Brasil (EBAL) e no exterior. 

Tamanho sucesso não poderia ficar fora do mundo dos brinquedos, e a Viocema tratou de corrigir esta falta, lançando o seu conjunto Gunsmoke, que foi produzido ao longo dos anos 70. 

Abaixo, a imagem da caixa do brinquedo Gunsmoke:   

O conjunto possuiu duas versões. Em ambas as versões a estrutura básica do brinquedo era a mesma, ou seja:  

-   Sallon;

-    Escritório do xerife;

-    Estrebaria;

-    Diligência;

-    Figuras do xerife, do médico e da mulher; e

-    Conjunto de figuras de cowboys diversas, todas com fôrma Gulliver/Casablanca. 
 

A diligência da Viocema utilizava a mesma fôrma daquela lançada pela Casablanca nos anos 60, a qual era vendida individualmente, e, também, acompanhava o conjunto Virgínia City. A diferença é que os cavalos da diligência Casablanca eram do modelo mais gordo, ao passo que os da Viocema eram magros. Ambas as fábricas colocavam a figura do cocheiro junto com a diligência, sendo que a Viocema utilizou a mesma fôrma da Casablanca para esta figura. 
 

As principais diferenças entre as duas séries lançadas pela Viocema eram as seguintes: 


     -         Na primeira versão o Sallon possuía sacada em “L”, ao redor da casa. Na segunda versão a sacada era de um lado só, na frente da casa;

-         Na primeira versão a diligência era de plástico azul. Na segunda versão, de plástico salmão. 
 

Abaixo a foto da delegacia e do saloon na 1a versão do brinquedo. Ao centro a diligência em plástico azul. “Pilotando” a diligência, a famosa figura do General Custer, mencionada acima, com camisa azul e calças brancas: 


A foto acima é da coleção de Fernando Camargo. 

Abaixo, uma foto do conjunto com a diligência na cor salmão (os cavalos da foto não são originais Viocema, são Gulliver):  

Abaixo, uma vista geral da segunda versão do brinquedo, com a diligência na cor marrom: 

Abaixo, as fotos das figuras que representavam o xerife (na sacada), o médico e Kitty Russel. As cores das figuras eram variadas, mas sempre a pintura era feita sobre plástico branco: 


GENERAL CUSTER


Outro conjunto da Viocema, lançado para faturar em cima do nome de alguém famoso, foi o General Custer. 

A capa do conjunto era muito bonita, e prometia.... 

Uma bela cena de carga de cavalaria sobre um grupo de índios, observados pelo próprio General.

No entanto, ao abrir a caixa, o conjunto decepcionava um pouco. Era composto apenas de três carroças de madeira, uma delas com lona “camuflada” (??). As carroças são um pouco mais largas que as da Casablanca, com cavalos e rodas da diligência. Vez por outra é possível encontrar uma carroça destas num leilão da internet, mas são raras.
 

Eu não me recordo, mas colecionadores amigos informam que figuras da Viocema eram vendidas avulsas em sacos plásticos, sacos estes que eram fechados por um papelão com uma réplica da imagem do conjunto, apresentada acima.
 

Abaixo, o conteúdo do conjunto: 

 O conjunto General Custer, apresentado acima, pertence à coleção do Alan, de São Paulo. 

São estas as informações que possuo sobre a Viocema. Assim como já comentei no artigo sobre o Fort Rin Tin Tin, sempre restará alguma curiosidade sobre as negociações empresariais entre os fabricantes de brinquedos. Sendo a Trol e a Viocema concorrentes da Gulliver na linha faroeste, que interesse poderia ter a Gulliver em ceder suas fôrmas para os concorrentes produzirem figuras que concorreriam diretamente com seus produtos?
 

Da mesma forma, resta alguma curiosidade em relação a Trol X Viocema, uma vez que o estilo de pintura das figuras por elas lançadas era praticamente o mesmo, assim como o tipo de embalagem em que vinham os conjuntos das duas fábricas era muito semelhante. Teriam Trol e Viocema possuído algum vínculo societário entre si?
 

Espero retornar em breve com mais informações sobre o saudoso mundo dos brinquedos de faroeste.
 

Marcos de Bem Guazzelli

mguazzelli@uol.com.br 

P.S. O nome correto da empresa era Viocena, com "N". Mas que Viocema, com "M" é muito mais bonito, a isso é...





Comentários

Enviar comentario

De: Dinilson
Viocema...seria necessária uma operação de arqueologia empresarial para desvendar esses segredos.