FEIRA DE SAN ANTONIO 2015



Nos Estados Unidos acontece todo mês, em algum lugar do país, uma feira dedicada ao colecionismo de soldadinhos. Às vezes duas ocorrem num mesmo mês. Já estive quatro vezes na feira de Gettysburg e uma vez na feira de Chicago.

A de Chicago é a maior e mais importante feira do gênero. No entanto, a mais badalada atualmente é a de San Antonio, de forma que ficamos curiosos para conhecê-la. Desta forma, marcamos viagem para poder estar presentes na edição de 2015 da Feira de San Antonio, que ocorreu nos dias 23 e 24 de maio.

Infelizmente, o momento não poderia ter sido pior, pois durante o mês de maio de 2015 o estado do Texas registrou as maiores tempestades e inundações da sua história, o que acabou complicando bastante os deslocamentos, além do stress gerado pela constância dos alarmes de inundação e de tornados. Para coroar, o real perdeu bastante valor em 2015, e as coisas em dólar ficaram bem mais caras.

Mas, enfim, já que estávamos na chuva tínhamos que nos molhar...

Nosso destino de entrada no Texas não foi a cidade de San Antonio, mas, sim, o aeroporto de Dallas/Forth Worth. Em 2008 havíamos visitado Fort Worth e na oportunidade vi vários comércios que vendiam maravilhosas réplicas de armas do velho oeste, além de cinturões e coldres de couro para revólver. Também havia uma bela loja de brinquedos antigos, principalmente revólveres de espoleta das décadas de 1950 e 1960. Naquele momento não comprei nada, só olhei. Mas desta vez resolvi iniciar a viagem por Fort Worth com o firme propósito de comprar alguns itens. Frustração, pois a tal loja de brinquedos antigos não existe mais, assim como não localizei nenhum comércio de réplicas de armas o de cinturões e coldres de couro.

Seguem algumas imagens:

Fort Worth é relativamente distante de San Antonio, e fizemos o trajeto via Austin, com pernoite em Austin. Uma das coisas que me motivam a viajar pelo velho oeste é que podemos seguir sem um roteiro definido, apenas rodando pelas estradas e vamos encontrando as atrações (museus, locais históricos, etc.) anunciadas ao longo do trajeto, podendo escolher aquelas que queremos parar para visitar. Mas no trajeto Fort Worth – Austin – San Antonio não encontramos nada, o que também foi um pouco frustrante.

Enfim, chegamos a San Antonio.

San Antonio é a idade famosa porque ali fica o Álamo.

O Álamo era uma antiga missão religiosa, que acabou sendo transformada numa fortaleza, e serviu de palco para a famosa batalha do Álamo, em 1836, durante a guerra de independência do Texas. Menos de 200 texanos foram cercados por mais de 1.500 mexicanos, e permaneceram cercados por mais de 10 dias. O que tornou a batalha famosa foi o fato de que os texanos resistiram até o último homem, todos morreram, coisa de tempos em que os homens eram feitos de outra fibra. Figuras como Coronel Travis, Davy Crockett e Jim Bowie entraram para a história após morrerem defendendo o Álamo.

A fortaleza original pode ser vista neste desenho:

Atualmente permanecem em pé a igreja e um pedaço da muralha, sendo que ambos podem ser vistos na imagem abaixo:

Os restos mortais dos heróis do Álamo estão na Catedral de San Fernando, em San Antonio:

A feira é realizada no Hotel Menger, e só o hotel já é um caso a parte. O hotel atualmente é imenso, ocupando um quarteirão inteiro, ao lado do Álamo, mas sua primeira seção, de dois andares, foi inaugurada em 1859. Tem muita história. Foi neste hotel, por exemplo, que o então coronel Theodore Roosevelt recrutou o seu famoso regimento de Rough Riders, que combateu em Cuba, na guerra entre Estados Unidos e Espanha. Dentro do hotel há lojas, e um pequeno museu destinado aos Rough Riders. Entre as imagens abaixo, uma que mostra os Rough Riders fazendo sua preparação na periferia de San Antonio. A foto seguinte é após a conquista de San Juan Hill.

A King & Country é atualmente a principal fabricante de soldadinhos em atividade. Sua sede fica em Hong Kong, e ela só possui duas lojas próprias no mundo, uma em Hong Kong e outra em San Antonio. A loja de San Antonio se chama Kings X, e fica dentro do Hotel Menger. É a Kings X que promove anualmente a feira de San Antonio. Seguem imagens da loja:

Na sexta feira que antecedeu a realização da feira a Kings X ofereceu um coquetel com petiscos e bebidas para os participantes:

A finalmente chegou a manhã de sábado, abertura da feira. O horário era a partir das 10h, mas eu já estava lá na porta, de plantão, antes das 9h...

Seguem algumas imagens da feira:

]

Não dá para comparar a Feira de San Antonio com a Feira de Chicago, afinal a de Chicago é a maior do mundo. Então, uma comparação mais justa seria entre San Antonio e Gettysburg (as duas que eu conheço). Na minha opinião, embora as feiras sejam mais ou menos do mesmo tamanho, a de Gettysburg tem um pouco mais de variedade de produtos. Além disso, não encontrei da Feira de San Antonio nenhum stand de venda das revistas de colecionismo de soldadinhos, que gosto de comprar e geralmente só encontro em feiras. Seguem mais algumas imagens:

Nesta eu me preparei para tirar a foto, mas o John Wayne ali atrás estava mais interessante que o fotógrafo...

Mais algumas imagens:

Atualmente estou encantado pela nova série da King & Country, que retrata a cavalaria de John Ford. Ford é o famoso diretor de westerns, falecido em 1973, e a K&C denominou a série de “cavalaria do John Ford” porque ele criou (com seus filmes) uma cavalaria que na prática nunca existiu, mas que é a cavalaria que entrou para o nosso imaginário: com chapéus brancos, suspensórios brancos e lenços amarelos. Seguem imagens:

Encerrada a feira, deixamos San Antonio, e seguimos em direção a Fredericksburg, que é uma cidade que parece ter parado no tempo. Se conseguíssemos tirar as centenas de carros das ruas, poderíamos por algum momento ter a sensação de ter voltado ao século XIX. Vale muito uma visita. Infelizmente, com tanta chuva, não deu nem para fotografar direito a cidade. Mas lá consegui encontrar um belo coldre de couro, além de adquirir uma réplica de 45 single action.

É em Fredericksburg que a família Nimitz possuía um hotel, e lá nesse hotel foi criado o jovem que viria a ser o futuro Almirante Nimitz, que comandou, junto com McArthur, as forças americanas no teatro do pacífico na segunda guerra mundial. O antigo Hotel Nimitz foi transformado naquele que é provavelmente o maior museu dedicado à guerra do pacífico.

Após a rendição do Japão, em 1945, Nimitz retornou aos EUA como herói. Desfilou em carro aberto e discursou no congresso. Como em 1941 os EUA, quando atacados, estavam completamente despreparados para a guerra, Nimitz declarou em seu discurso: “que nunca mais uma guerra possa nos encontrar despreparados”. Foi aplaudido de pé pelos congressistas. 80 anos depois o aparto militar americano está em processo de sucateamento, sofrendo um lento e contínuo processo de desmanche. Enquanto Rússia e China se armam até os dentes.

De Fredericksburg rumamos para Groesbeck.

Em Groesbeck fica o Fort Parker. Em 1836 os índios atacaram o Forte Parker, mataram diversas vítimas, e também sequestraram. Entre as sequestradas estava Cynthia Ann Parker.

Ela foi criada com os Comanches, e com eles viveu por 24 anos até ser resgatada. Entre os Comanches ela se casou com um chefe (Nocona), e teve três filhos, incluindo aquele que viria a ser o último chefe de guerra dos Comanches – Quanah Parker. Após seu resgate, Cynthia não conseguiu mais se adaptar ao estilo de vida dos brancos, e acabou morrendo. Sua história serviu de base para o roteiro do filme The Searchers (Rastros de Ódio), lançado em 1956, dirigido por John Ford e estrelado por John Wayne. Apesar de não ter rendido Oscar, é considerado o melhor filme da carreira da dupla.

Seguem imagens do Fort Parker:

O destino final da nossa viagem pelo Texas foi a cidade de Houston, que estava embaixo da água. Nos hospedamos a apenas 2 milhas (3 Km) do aeroporto, mas não havia garantias de que conseguiríamos percorrer, no dia do embarque, este curto trecho alagado. Enfim, conseguimos. Mas muitas vidas foram perdidas no Texas no mês de maio, além dos bilhões de dólares de prejuízos.

Agora, de volta, é se preparar para enfrentar aquela que promete ser a maior crise econômica dos últimos 25 anos. Vamos tentar sobreviver a ela. E quem sabe um dia poder voltar a visitar uma outra feira internacional de soldadinhos.

Fiquem com duas imagens finais da K&C:

Até a próxima!

Marcos Guazzelli

Junho de 2015





Comentários

Enviar comentario

De: rodriguesmarco65@gmail.com.br
Muito bom parabens por ajudar a manter esta boa lenbranca !


De: John Tesche
Parabéns, muito legal este site! fazia um tempão que não acompanhava. Continue assim Marcos.


De: RAUL AGUIAR
MUITO LEGAL!!!!


De: Cleso Brito
Maravilhosa descrição de sua viagem. King and Country é demais! Abraço


De: LUIZ CARLOS PAGLIARINI
PARABÉNS MARCOS, LINDA MATÉRIA E BELÍSSIMAS PEÇAS. ABRAÇO.


De: Luiz Paulo Pizzutti - SP
Salve! que bom termos uma matéria tão bacana e detalhada para "degustar". Só um estudioso como o Guazzelli para nos trazer locais e eventos tão legais como essa feira da qual nunca tinha ouvido falar. K&C que maravilha ! Pena que agora, uma figura a pé esteja na faixa de R$100 a R$ 120. Não tá dando. E o pior é que de certa forma a crise, que aqui está bem contundente, atacou tb outros países e muita coisa legal foi para o beleléu como lojas de brinquedos ou colecionismo que de fato não encontramos mais. Grato pela matéria apaixonante.


De: Tadeu Buono
Parabéns pela viagem . Lendo o que vc relatou e escreveu , inclusive fotografou , eu , como fã , viagei com vc . Retornei ao passado e minha imaginação foi longe . O que temos hoje de bonecos de forte apache , retratam as batalhas norte-americanas . Parabéns , e espero contactá-lo em breve , com novos relatos e novas fotos para engradecimento de nossas fantasias . Um forte abraço , meu amigo !!!


De: Pedro Mazzei
Parabéns pela matéria, Marcos. Seus relatos de viagens são verdadeiros guias turísticos para nós, fans do gênero. A crise nacional me impediu de programar minha primeira feira esse ano. Se melhorar, vou ano que vem. Sobre a K&C, também amo a linha John Ford, adquiri 4 figuras desta linha importando diretamente da KIngsx, inclusive sempre fui muito bem atendido. Mas deveriam lançar figuras a cavalo nesta coleção. Me deram informações e que em setembro haverão novidades dessa linha, mas não sabem informar quais. Um forte abraço ao amigo.


De: Roberto Vasco
Bela matéria, muito bem escrita e ilustrada.Os Estados Unidos tem orgulho de sua história,sempre estão realizando feiras e exposições que resgatem a sua expansão. Indiscutivelmente são um povo guerreiro e culto.Pena que em nosso País, embora maravilhoso e acolhedor o que impera e o esperto, o malandro, a falta de memória de um povo reflete no seu futuro. Parabéns pela viagem e obrigado por repartir com seus leitores suas experiências.Por fim gostaria de agradecer quanto a matéria de Quanah Parker, o filme Rastros de Ódio, em minha opinião é um dos maiores filmes já feitos do gênero.