CIDADE LUZ



Em outubro último estivemos em Paris, a cidade luz. E, como sempre, dediquei uma parte do meu tempo para encontrar o que a cidade oferece em termos de soldadinhos.

 

Ficamos hospedados em Montparnasse, bem próximos do cemitério de Montaparnasse, que é o que aparece à minha esquerda na imagem abaixo:

 

 

Neste cemitério estão enterradas celebridades e figuras importantes da história Francesa. Mas a única celebridade cujo túmulo eu desejava visitar não está enterrada em Montparnasse, mas sim bem longe dali, na periferia de Paris, no Cimetiere des Chiens.

Na entrada do cemitério recebemos um mapa, que ajudou a encontrar a sepultura da nossa celebridade, entre milhares de outras:

 

 

Neste local o Rin Tin Tin original descansa desde 1932, às margens do rio Sena. O lugar é bacana, o túmulo está bem conservado, com flores (como é possível ver na imagem), mas acho que faria mais sentido o Rin Tin Tin estar enterrado em Los Angeles, próximo a Hollywood.

 

 

Para quem for a Paris e quiser visitar o Rin Tin Tin basta pegar a linha 13 do metrô e descer na estação Gabriel Péri. O lugar é meio sinistro, mas a partir desta estação dá para ir a pé ou de taxi até o cemitério.

 

 

Paris é uma cidade muito grande e espalhada, impossível de realizar o tipo de turismo que eu gosto, que é percorrer a pé o maior número possível de ruas tentando encontrar aleatoriamente as lojas de brinquedos. O maior número de ruas que minha capacidade física suporta caminhar não representa absolutamente nada em relação ao total de ruas que Paris oferece. Mesmo assim, realizei várias andanças por ruas Parisienses, mas nestas andanças não encontrei nenhuma loja de brinquedos (nem de brinquedos contemporâneos), apenas duas pequenas lojas de brinquedos educativos.

 

 

Assim, para encontrar soldadinhos em Paris tive que me socorrer de alguns endereços que eu havia pesquisado na internet antes da viagem.

 

 

A primeira loja que recomendo aos viajantes é a Les Drapeaux de France.

 

 

 

 

 

A loja fica super bem localizada, ao lado do Museu do Louvre, e é parte do complexo de galerias do Palais Royal. O endereço é Place Colette número 1, bem próximo à Rue de Rivoli, bem fácil de encontrar.

O estoque da loja é muito grande, com figuras de diversas marcas. Um verdadeiro paraíso para colecionadores, com muitas raridades. Mas em se tratando de raridades, e a loja é para colecionadores profissionais, é preciso avisar que o visitante tem que estar com seu bolso preparado, pois os produtos oferecidos são bem caros.

 

Seguem algumas imagens:

 

Saímos de manhã para passear e minha esposa com aquela mania dela, de querer visitar monumentos, museus, etc., enquanto eu tinha que acalmá-la dizendo: primeiro vamos na Les Drapeux, depois nos monumentos. Assim, chegamos cedo à loja ... apenas para descobrir que ela só abre a partir das 13 horas...

 

Então, não restou alternativa e fomos passear, retornando à loja à tarde. Quando entrei, cheio de expectativa, tomei um balde de água fria – dentro da loja havia um senhor de barba branca (que é o proprietário) e duas senhoras (não descobri a função delas), e os três me ignoraram completamente. Não me trataram mal, não me olharam de cara feia, apenas ignoraram. Era simplesmente como se eu não existisse. Fiquei um pouco na loja, andando de um lado para o outro, pigarreando, tentando chamar a atenção, mas logo, com a paciência que me é característica, me irritei e saí da loja dizendo impropérios.

 

Mas na calçada minha esposa começou a tentar me acalmar, dizendo: “poxa, você queria tanto visitar esta loja e agora vai embora sem levar nada”, ao que eu respondia informando para ela aonde que, na minha opinião, eles deveriam colocar os bonecos.

 

Mas eis que com alguma paciência ela conseguiu me acalmar e eu concordei em entrar novamente na loja. Aí mudei de estratégia – fui direto ao senhor de barba branca e apontei uma figura que eu queria, um General Custer da série Golden West da Andrea Miniatures, possivelmente a figura mais cara que eu comprei na minha vida. Pronto, o ambiente na loja se transformou e eu passei a ser o centro das atenções. O senhor de barba branca (Jaques Roussel, na imagem abaixo) começou a conversar comigo em seu inglês ruim, contar histórias de bonecos, de marcas, das exposições que ele promove em Paris de tempos em tempos, do seu imenso acervo de bonecos e do museu de figuras que ele mantém na região da Normandia (imagem abaixo). Disse também que nos próximos anos ele pretende montar um museu de figuras em Paris. Por fim eu já estava cansado do esforço necessário para nos entendermos, mas ele emendava um assunto no outro. Ah, o milagre que comprar uma figura cara é capaz de produzir...

 

 

A loja a ser visitada no dia seguinte era a Boite de Soldats. Como eu já estava escaldado, sabendo que as lojas não abrem pela manhã, programei para visitar a loja após o almoço.

 

 

Fomos visitar o Museu de Armas e a igreja Dome (onde está Napoleão) e, no início da tarde saímos do complexo do museu de armas, pelo lado da Dome, dobramos à direita, passamos pela frente da escola militar e seguimos rumo à Rue de Violet, número 28, onde fica esta loja. A partir de onde estávamos é uma leve caminhada até lá.

 

 

Mas eis que chegamos à loja e nos deparamos com a informação abaixo:

 

 

 

 

Esta loja só abre às 15h, e nós chegamos lá por volta das 14h. E a vizinhança não me pareceu muito agradável para ficarmos lá esperando. Também achei uma falta de respeito com o consumidor abrir seu comércio somente após as 15h. Fomos embora e nesta loja não voltei. Não descobri o que havia por trás desta porta vermelha.

 

 

A última loja da minha relação era a Toy Soldiers Paris, e o endereço que eu tinha era Rue Amelot, número 12.

 

 

No dia marcado para visitar esta loja, deixei para fazer isto bem no fim do dia, para não acontecer de novo o que aconteceu na loja anterior. Então nos dedicamos a passear e caminhar o dia inteiro, até um ponto no meio da tarde em que estávamos mortos de cansados. Aí concluímos que chegava de passeio por aquele dia, iríamos de metrô até a loja e de lá para o hotel. Uma coisa muito boa em Paris é que há estações de metrô em quase todos os lugares, sempre há uma próxima a onde você está.

 

 

Tomada a decisão de ir para a loja, consultei meu mapa para identificar a estação de metrô mais próxima. Era a estação Etienne Marcel, e ficava a quatro quadras de onde estávamos. Para quem está exausto, quatro quadras parecem uma eternidade, mas fomos nos arrastando. Tomamos o metrô, chegamos à estação mais próxima da Rue Amelot, desembarcamos, caminhamos mais umas três quadras e chegamos mortos ao endereço. Apenas para encontrar um aviso de que a loja havia mudado de endereço. Uma decepção. Mas aí me irritei e disse que iríamos naquela loja de qualquer jeito, não importando onde ficasse. Anotei o novo endereço – Rue de Turbigo, número 16 – e tomamos um taxi.

 

 

O taxi nos deixou na frente da loja. A Toy Soldiers Paris agora fica dentro da Cowboy Dream, que é uma loja que vende botas, chapéus, cinturões, etc. Foi a loja onde mais me diverti e onde mais fiz compras. O pessoal da loja foi super atencioso e educado.

 

 

Encerradas as compras, com sacolas cheias, saímos da loja e olhei para a direita e para a esquerda à procura de uma estação de metrô. À nossa esquerda, a uns 50 metros da loja estava a estação ... Etienne Marcel...

 

 

Seguem algumas imagens.

 

 

 

Nos outros locais da Europa por onde passamos não encontrei bonecos, nem nada referente a faroeste. Exceção feita à Croácia, onde encontrei a versão Croata das minhas revistas preferidas – Tex e Zagor:

 

Seguem imagens de alguns itens que, em minha opinião, são os mais interessantes que comprei:

- Da esquerda para a direita Annie Oakley, Buffalo Bill e General Custer (o Custer está com a mesma roupa e pose de uma foto famosa que ele tirou em Washington em 1865, no dia da parada da vitória na guerra civil).

 

- General Custer da série Golden West da Andrea Miniatures. Tão caro que este “golden” deve significar que é feito de ouro. E absolutamente frágil, ao tirá-lo da embalagem pressionei a rédea e ela voou longe...

 

 

- General Lee posando para um fotógrafo.  

 

- General J.E.B. Stuart e soldados carregando um ferido.

 

 

 

- Alojamento de campanha de um general.

 

 

 

Bem amigos, era isto.

 

 

Até a próxima!

 

 

Marcos Guazzelli

 

 

Janeiro de 2013

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 





Comentários

Enviar comentario

De: nel_atelie@hotmail.com
Através dos seus comentários e fotografias, eu fui até a Europa. Como você eu também sou um apaixonado por tudo que está relacionado ao Velho Oeste americano. Depois que descobri seu site, eu estou sempre olhando ele para ver se tem alguma novidade. Eu também coleciono Tex e muitas histórias em quadrinhos, inclusive tenho algumas da década de 50. Abraços.


De: João Henrique
Marcos, uma pena você não ter ido a Lulu Berlu. É uma loja amarela de esquina, perto da estação Oberkampf do metrô com 3 andares (pequenos) de pura diversão. Tive a impressão de que lá tem mais bonecos da Timpo que na Inglaterra inteira e os preços até que eram honestos, se você não convertesse em reais. Afinal, como se diz, quem converte não se diverte.


De: Tadeu Mahfud
Depois que eu conheci o site do Guazelli eu resolvi economizar nas viagens e ler os artigos dele..kkkkkk. Concordo com o MVF eu ainda prefiro o charme tosquiano das figuras brasileñas!!! Abs


De: LUIZ CARLOS PAGLIARINI (PAGLITOYS)
Magníficos. Parabéns pelo artigo.


De: Marcos Faria / Angra RJ
Lá como aqui pelo visto o que manda é o $. Infelizmente dependemos disso pra conseguir itens que nos interessam, tudo maravilhoso, mas ainda sim o charme e caracteristicas das nossas figuras são minhas preferidas, parabéns pela matéria.


De: David Orling
Simplesmente maravilhosas as fotos caro Marcos! Parabéns!