DIVERSOS - JULHO DE 2012



1.Visitas a colecionadores

Como já escrevi mais de uma vez, a criação da série “visita a colecionador” foi uma das coisas que me deixou mais feliz desde a criação deste site, em agosto de 2005. Seria uma oportunidade de conhecer as coleções e os colecionadores, espalhados pelo Brasil. Por outro lado, a falta de interesse dos colecionadores em receber a visita foi uma frustração de proporção equivalente.

Mas neste mês consegui visitar dois colecionadores. Respeitando a nova periodicidade quadrimestral de atualização do site, o relato das visitas será publicado no final de setembro.

Talvez sejam as duas últimas da série, já que não recebi nenhum sinal de que haja outros colecionadores dispostos a serem visitados.

 

2.Corrente de pedidos para entrevista com o fundador da Gulliver

Em março iniciamos uma corrente de pedidos junto à Gulliver para conseguirmos ser recebidos pelo seu fundador para uma entrevista. Pelo número de acessos ao site, que são milhares, imagino que algumas centenas de pedidos, pelo menos, tenham chego no e mail da Gulliver.

Contudo, o resultado da corrente foi o que já era esperado – nenhum.

Por um lado tenho total incapacidade de compreender porque alguém com uma história tão bonita, e com tantos admiradores, insiste em não falar sobre o assunto. Por outro lado, me cabe respeitar a decisão de não falar.

Da minha parte, sigo fã de Forte Apache, e comprando o produto para fazer a minha parte para que ele permaneça vivo no mercado.

3.Produtos à venda

Os fortes da Gulliver, incluindo o novo lançamento, chamado de “Far-West” (uma espécie de Acampamento Apache) e os novos baldes de figuras estão à venda na loja virtual do nosso amigo e admirador de faroeste Ricardo Pirillo. Solicito aos colecionadores que desejarem adquirir este produto, que prestigiem a loja do nosso amigo, cujo link está abaixo:

http://www.pitico.com.br/loja/index.php?route=product/search&keyword=Gulliver&category_id=0

4.Figuras repetidas?

Na minha coleção tenho várias figuras na mesma posição. Já parei de contar figuras há muito tempo, não faço mais ideia de quantas eu tenho, mas creio que para algumas posições eu deva ter mais de 50 figuras “iguais”.

Algumas pessoas não entendem por que ter tantas repetidas. Alguns acham que eu deveria vender para permitir que outros, que não têm determinadas figuras, também as tenham. Será que eles estão certos?

Eu acho que não. Considero que não existe figura repetida entre as produzidas pela Casablanca e a Gulliver. As figuras pintadas eram trabalho artesanal, feito à mão, e como tal não existe nenhuma exatamente igual à outra.

Assim, coleciono as figuras “repetidas” como obras de arte, entendendo que cada uma é única. Algumas figuras “repetidas” que adquiri neste último mês reforçaram esta convicção.

5.Gostaria de conhecê-lo

Em junho um leitor identificado como Maurício deixou o seguinte comentário no site:

“Tenho muitos hominhos, índios e bichinhos Gulliver guardados. Minha mãe e minhas irmãs pintavam para a Gulliver nos anos 70 e as sobras dos milheiros ficavam para mim.”

O Mauricio deixou um endereço de e mail, mas ao tentar contato recebi uma mensagem automática informando que o endereço não existe. Gostaria muito de conhecê-lo, para saber como era o trabalho dos seus familiares na Gulliver, e para saber melhor como era esta questão dos milheiros.  Se por acaso você vir a ler este artigo, entre em contato através de mguazzelli@uol.com.br.

6.Cavalaria da Timpo

A maioria das figuras de cavalaria produzidas pela Timpo tinham a luva azul. No entanto, em seus últimos anos (78 e 79), a Timpo lançou os soldados com luvas brancas. Eu acho os mais bonitos, tenho alguns na minha coleção. O leitor Richard Kyaw adquiriu uma tropa inteira de “luvas brancas” e mandou a imagem abaixo:

Os leitores devem ter observado alguns soldados de camisa preta. Também tenho um desses na minha coleção. Não sabemos a história desses “camisas pretas”, mas o Richard ouviu dizer que teriam sido os últimos produzidos pela Timpo, antes de fechar.

O Richard também enviou imagens dessas belas figuras francesas, recém adquiridas, de fabricante desconhecido:

7.Coleção de armas de espoleta

O colecionador Marco Tozo esteve me visitando e deixou a imagem abaixo de uma coleção de revólveres de espoleta dos anos 50/60 que está (estava?) à venda nos Estados Unidos.

Não é um espetáculo? Pena não podermos importá-la para o Brasil...

8.Condomínio em Londrina

O colecionador Marcos Faria conseguiu com um colega seu, de Londrina, a imagem abaixo, que seria da área de lazer de um condomínio naquela cidade. Fiquei com inveja. Meu condomínio não tem nada parecido. Aliás, meu condomínio só faz reuniões, mas nunca decide nada...

Se alguém tiver mais informações sobre este magnífico condomínio em Londrina, favor enviar ao meu e mail.

9.Apache Pass

O colecionador Deivid Finamore enviou uma imagem do conjunto Apache Pass, da Atlantic.

Apache Pass é um local histórico do Arizona, que servia de passagem, e foi muitas vezes cruzado por guerreiros apaches em pé de guerra.

O Deivid também enviou imagens do conjunto Fort Bowie, da Atlantic, que, curiosamente, ficava em Apache Pass e tinha por objetivo conter apaches que por lá passavam.

Este era o verdadeiro Fort Bowie, em Apache Pass:

 

Por fim, enviou fotos do belo conjunto Wigwams, da Atlantic;

10.Safari na África

O colecionador Tassilo Campos encontrou esquecidas em uma loja essas bases que seriam do conjunto Safari da África (vendidas separadamente). Eu não posso dar o meu testemunho pessoal, pois nunca vi as bases antes. Contudo, conversei com algumas fontes que confirmaram que o conjunto Safari possuía, de fato, bases que vinha separadas (fora da caixa).

11.Trabalho de Cícero Ferreira

O leitor e historiador Cícero Ferreira é fã de faroeste e faz trabalhos artesanais em cerâmica plástica. O interessante é que a inspiração para seus trabalhos sai das aventuras de Tex. Seguem algumas imagens:

 

12.Trabalho do Carlos Nebot

O Carlos Nebot, o maior colecionador da Espanha, criou um pequeno diorama representando a Força Expedicionária Brasileira na Itália. Seguem imagens:

Bem, era isso.

Agradeço ao colecionador Cleso Brito, que enviou o artigo sobre Daniel Boone para publicação.

Em agosto o site completa 7 anos!

Até a próxima,

Marcos Guazzelli

Julho de 2012





Comentários

Enviar comentario

De: RENÉ CARDOSO
Marcos,qual seu telefone? meu zap zap é 73 99982-7228 vivo


De: eneas_62@hotmail.com
tenho 52 anos de idade. na minha infância brincava de forte apache, engraçado disto era o que eu pensava na época: me perguntava como uma criança poderia viver sem forte apache. perdi todos meus bonecos, hoje, tenho uma coleção e fabriquei minha própria cidade e carroças. gostaria de enviar fotos, como faço?


De: valdirg.freitas@hotmail.com
Tenho 55 anos e tive fort apache na minha infância,e ao ler vários artigos do site resolvi adquirir um novo (colaborando com o consumo dos produtos de far west)sendo: Um Forte Apache Ação Total (vou decorar com outras figuras no lugar das articuladas que não gostei). Até o momento adquiri cinco baldes de Far West. Um Forte Batalha Júnior (preferi o sem pintura). Ainda falta itens: carroças,barris...etc...etc... Vou tentar aprender a técnica de pintura porque vi que fica bem melhor do que as que vem de fabrica... Obs:continuar comprando é muito,muito,muito importante.....14/01/2013


De: Carlos Mariano (Crazy Horse)
(3.Produtos à venda) R.: Lembrei do Marcos Guazzelli com as caixas dos novos fortes ao visitar uma loja da Bmart, próxima aqui de onde moro. Estava lotada com o encalhe do dia das crianças, 'Forte Apache Super Batalha', 'Farwest' e 'Forte Apache Ação Total'. Este último é aquele que podemos dizer : mamãe, eu queria ser o Playmobil. Vão tentar desovar no Natal! Ah!! Se tivesse o FORTE ANTIGO... Mas até compraria uma caixa da 'Super Batalha', apenas 99,00 (:-)) para dar de presente para alguma criança da minha família...


De: juninho.maia@gmail.com - Sylvio Maia
Estou me organizando aqui. Pois a coleção está no Rio e outra parte no RN. Se você não se importar em visitar colecionadores com 5 sets somente, terei o prazer de te receber. Não possuo muitas peças, mas tenho algumas estórias legal da época que brincava direto com essas jóias. Revolvers por exemplo eu tive vários... Arco e flexa era meu forte, além de ter tido alguns como os primeiros em madeira e mosaico azul e vermelho, tive também aqueles em plástico. Abraço!


De: Luciano Silva
Marcos, se for possível, crie uma seção no site com imagens das versões do Forte Apache, ano após ano, para que possamos comparar qual a versão é a melhor, de qual fabricante também, com quantos soldados, índios e cowboys e os modelos dos mesmos. Assim além de matarmos a saudade ficamos na expectativa dos novos lançamentos. Um abraço Luciano


De: Rogerioalves@rotmail.com.br
Prezado amigo Guazzeli,eu também teria imensa satisfação em recebe-lo,mas eu tenho pouca coisa.Eu também sou fã do brinquedo.Graças ao seu site eu consegui fazer contato com essa turma que também é fã do Forte Apache.Não desista da sua idéia.Abraços.


De: Jean Carlos
Prezado Guazzelli, caso minha coleção fosse relevante e repleta de itens antigos, teria o maior prazer em convidá-lo para vir à minha casa, aqui na Baixada Santista. No entanto, ela é composta apenas por peças novas, e foi iniciada graças a você: antes do seu site, o único brinquedo de Faroeste que eu possuía era um cavalo verde da Gulliver, lembrança de infância. Porém, após ler os sensacionais artigos do BdF, fui tomado de um entusiasmo (inesgotável, pois perdura após mais de 6 anos) que me faz adquirir todo brinquedo de "Far West" que encontro em loja. MUITO OBRIGADO POR ISSO, e PARABÉNS pelos 7 anos de sucesso. Um grande abraço!


De: pap
Mauricio, volte a falar com o guazzelli!


De: Tadeu Buono
Caro amigo Marcos . Sou colecionador e comprador também , mas ficaria difícil de uma visita sua em minha residência , pois moro em São Paulo . Eu contato o Wagner e o Reginaldo da Brinqtoys , contato o Dilermando da Acme Brinquedos , mas moramos na mesma cidade , e em bairros próximos . Mas , paciência . Estou preparando novas fotos de minha coleção , e lhe enviarei mais tarde , para que dentro das possibilidades , vc coloque no seu site , na segunda quinzena de setembro . Um forte abraço , e que nós colecionadores continuemos a lutar pela volta dessas maravilhas que nos enalteceram no passado , e poderão abrilhantar nosso futuro e de nossos filhos .


De: Jacson Silva
Amigo Marcos ...estou fortalecendo a minha coleção para te convidar para vir aqui em casa ...ehehehhehe ...estamos pertinho , moro em Joinville. Quando eu Chegar no nivel do amigo Tadeu Mahfud eu vou ficar muito felis ... Gostei das materias ...esses relançamentos da Gulliver são legais e também são bons para baixar essa ondo de supervalorização das coleções Gulliver ...os mineiros estão pedindo R$ 120,00 agora tu compra eles por R$25,00 ....tá bom né ? ..Estamos no aguardo da tal caixa de madeira 50 anos ...abraços


De: Tadeu Mahfud
Muitas informações legais. Gostei muito do trabalho do Cícero Ferreira, só não sei do que se trata esta cerâmica plástica, a concistência fica parecida com o plástico que conhemos das antigas peças Gulliver? Sobre o dio do Nebot, sem comentários, simplesmente maravilhoso. É uma pena que um país como o Brasil, sem cultura nenhuma e muito menos amor a pátria nunca valorizou nosso pracinhas e nunca nenhuma empresa de brinquedos se interessou pelo tema. Por isso admiro os EUA que apesar de difamado, é um dos maiores exemplos de patriotismo do mundo, honram o país e morrem por ele. Fiquei pensando porque será que nasci tão americanizado, lógico, fomos bombardeados com a cultura deles. Aqui no Brasil teríamos set de samba, carnaval, favela, etc...Claro, não posso deixar de prestar reverência a Fanabri com os incríveis sets independencia ou morte e tuiuti. Att.


De: Tássilo campos
eu também comprei esta linha nova da gulliver, pois nunca se sabe quando será a ultima, até temos que elogiar a gulliver por lançar um conjunto como este novo acampamento da maleta nos dias de hoje onde as crianças nem sabem mais o que é faroeste, logico que nós sempre esperamos mais...