UNIFORMES MILITARES



Muitas vezes eu mesmo critico os filmes de faroeste por serem muito fantasiosos. Na verdade os filmes são entretenimento, e não aulas de história. Desta forma, não há nenhum compromisso para que sejam absolutamente fiéis aos fatos. As próprias aulas de história (aquelas ministradas nas escolas) viajam cada vez mais para longe dos fatos, dependendo da visão ideológica de cada professor, e os pais pagam por esta viagem sob a forma de mensalidades.

Mas se tem uma coisa na qual os filmes de faroeste viajam mesmo é na apresentação dos uniformes militares. Pela pureza da fantasia eu até prefiro pensar que os uniformes eram mesmo como apresentados nos filmes. São bonitos, bacanas, nunca ficam sujos de pó, e são bem cortados, ou seja, a tropa está sempre bem alinhada.

Infelizmente, a realidade não é tão bela. O orçamento do exército americano para uniformes no século XIX não era orçamento de uma produção holliwoodiana. Os uniformes reais não eram tão bonitos. Muitas vezes eram até bem feios. Os alfaiates da época ainda tinham muito o que aprender, de forma que os uniformes eram mal cortados e ficavam desengonçados nos soldados. Quando Custer foi promovido a General, com 23 anos de idade, a promoção lhe subiu à cabeça e ele mandou confeccionar fardas caríssimas de veludo negro. Pois bem, mesmo nesta situação as fotografias mostram que o caimento das fardas era péssimo, Custer não ficava bem alinhado. Imagine a tropa, que não tinha acesso a alfaiates de primeira.

Havia algum rigorismo em relação aos uniformes apenas quando nos quartéis (nos fortes). Quando em campanha os militares, na prática, utilizavam o que queriam. Desta forma, as colunas militares em campo poderiam até parecer um grupo de cowboys, não um corpo militar.

As botas das tropas não possuíam pé esquerdo nem pé direito. Era “pé único”, e os soldados que encaixassem em seus pés como pudessem.

Os casacos da tropa (os famosos casacos azuis) eram de lã mas, mesmo assim, eram o uniforme do inverno e do verão, e quem conhece o verão americano sabe o que é calor.

Quando terminou a guerra civil americana sobrou um estoque muito grande de uniformes. Assim, durante mais de uma década os militares ainda seriam uniformizados com as sobras da guerra.

Vamos neste artigo apresentar algumas imagens de uniformes e apetrechos. Algumas dessas imagens são bem mais belas que os uniformes reais, pois os uniformes ali apresentados não aparecem desalinhados nem sujos.

A imagem abaixo apresenta o uniforme de um soldado de cavalaria da Confederação. Na prática, à medida em que a Confederação empobrecia, o uniforme real se distanciava muito deste padrão. Já o uniforme da infantaria sulista era uma botina, uma calça cinza vagabunda e um casaco cinza, parecendo trapos.

A imagem abaixo apresenta o uniforme de um soldado de cavalaria da União. Assim como no exército sulista, o uniforme da infantaria nortista era bem mais simples do que o uniforme da cavalaria, constituindo-se, basicamente, de calça, casaco e botina de cano curto. Observem na ilustração que o chapéu é preto, como era na realidade.

A imagem a seguir também apresenta o uniforme de um soldado de cavalaria da União, mais condizente com a realidade. Os soldados da cavalaria utilizavam botas de cano longo.

Abaixo uma imagem de um uniforme de sargento da infantaria do exército da União:

Abaixo uma imagem bastante apropriada de um soldado de infantaria da União:

A imagem abaixo é de 1876, 11 anos após o fim da guerra civil. Os dois soldados à esquerda da imagem ainda vestem uniformes da época da guerra civil (os tais estoques). Os demais vestem uniformes mais “modernos”:

Eu falei que os uniformes reais eram desalinhados e que às vezes os militares pareciam mais um grupo de cowboys? A imagem abaixo (de 1876, com soldados da cavalaria) fala por si:

Reparem nos chapéus da imagem acima. Era muito comum cada soldado ter seu próprio chapéu e utilizá-lo, em substituição ao chapéu preto, padrão do uniforme.

Quepes eram utilizados em campo durante a guerra civil. Após a guerra, os quepes eram para serviço nos quartéis, e os chapéus para as operações de campo. O quepe da imagem abaixo é um modelo de 1872 da infantaria. Os quepes da cavalaria possuíam sabres no lugar dos fuzis.

A partir de 1872 o modelo abaixo era o chapéu padrão para operações em campo. Acho que dá para entender porque muitos soldados preferiam seus próprios chapéus...

Este chapéu também podia ser utilizado dobrado (parecendo um chapéu napoleônico, ou de cangaceiro):

Às vezes penso que nada é tão ruim que não possa ser piorado. Pois bem, em 1875 o exército mudou o padrão do chapéu de campanha para o modelo da imagem abaixo:

Socorro roteiristas e diretores de filmes de faroeste, quero que fiquem na minha memória as imagens dos belos chapéus azuis e brancos, que só existem nos filmes...

Abaixo a imagem do chapéu de campanha a partir de 1883:

A imagem abaixo é de um sargento de cavalaria, como apareceria em 1876. Digo que está adequado, exceto pelo chapéu, que parece saído de um filme de faroeste. No entanto, o chapéu real pode ser visto no canto inferior direito da imagem. O reforço interno nas calças era para resistirem a muitas horas de marcha sobre as selas dos cavalos:

A camisa padrão (de usar por baixo do casaco azul) era cinza.

A imagem abaixo é de um sargento de cavalaria por volta de 1886. Muito desalinhado.

E as luvas brancas? Luvas não eram padrão dos uniformes, exceto uniformes de gala. Quem as usava em outras situações, usava por conta própria.

A imagem abaixo é dos apetrechos de um soldado de infantaria, como eram durante os anos 1860 e início dos anos 1870:

A imagem abaixo é do cinturão de um soldado de cavalaria ao final dos anos 1870, e nos anos 1880:

Abaixo, uma imagem do equipamento de montaria nos anos 1870:

Os sabres:

Soldados da cavalaria usavam sabres, os da infantaria não. Sabres foram muito úteis durante a guerra civil, pois regimentos de cavalaria nortista e sulista se chocavam de frente e, no combate corpo a corpo o sabre acaba sendo uma arma muito eficaz.

Já no período de guerras índias, os índios muito raramente permitiam que os soldados chegassem tão perto, a ponto de permitir a utilização dos sabres. Desta forma, durante as guerras índias os sabres possuíam apenas duas funções:

- Aumentar o peso do equipamento transportado e contribuir para cansar o cavalo;

- Com o cavalo em movimento o sabre batia dentro da bainha, e fazia barulho. Este barulho, multiplicado por centenas de soldados, servia como um alarme para os índios, permitindo-lhes ouvir de longe a aproximação da tropa.

Os soldados que combateram no Little Bighorn não estavam portando sabres.

Seguem, para deleite dos leitores, algumas imagens da série Soldiers of the World, muito apropriadas já que o assunto em pauta são uniformes. Lembro saudoso dos idos de 1998, 1999, quando entrava em qualquer loja do Wal Mart nos Estados Unidos e encontrava um farto suprimento dessas figuras. Mas vocês sabem como é, eu acabava pensando: “na próxima vez eu compro”, até que as figuras desapareceram das lojas. Acabei ficando só com duas na minha coleção...

Até a próxima!

Marcos Guazzelli

Novembro de 2011





Comentários

Enviar comentario

De: drauziogama@hotmail.com
Ótimo artigo Guazzelli! Gostaria de saber se você tem algum falando sobre os Forts! Acho interessante... Abraços!!


De: Jean Carlos
Caro Guazzelli, agradeço por mais uma verdadeira aula de história! O que a escola me sonegou, estou recuperando agora, e me divertindo no processo! Este site ultrapassou em muito os limites do colecionismo; ouso dizer que ele se tornou, ao menos para mim, uma referência cultural na Internet. Um grande abraço!


De: Dino Alves
Que belas referências agora tenho. Guazzelli, o visual do site ficou ótimo. É tanta coisa boa, que estou maravilhado, parabéns! Agente se fala. Saúde!!


De: David Orling
Parabéns Guazzelli! Sempre é muito bom ler teus textos. Minha vontade é te entrevistar na TV da minha região. Abraço, David Orling


De: josé
Por fim Guazzelli: Gostaria de fazer uma pergunta: Houve algum confronto entre americanos e russos por causa do alaska nos idos de 1867?


De: jose
Além dos horrorosos uniformes, de tropas pouco numerosas, de fortes de construção fraca, em termos de combate penso que lutavam a duras penas diante dos indios, o que dira se no citado periodo(1865 a 1903) os ianques enfrentassem os prussianos/alemães ou os adversá- rios que os ingleses combatiam às duras penas em seus dominios coloniais. Se contra os índios passavam dificuldades, imagine diante de adversários como prussianos,chineses,árabes,muçulmanos,zulus,afrikanders,povos hindus. Era derrota na certa. Taí a resistencia das tribos americanas,a rebelião dos boxers e a fracassada expedição pershing ao méxico para mostrar.


De: jose
Numa frase: na real, além de horríveis, cada soldado tinha a "sua" versão de uniforme. Diante do horror dos uniformes das tropas da us cavalry, os indios ameri- canos eram chiques e elegantes.


De: jose
ola guazzelli: Tenho a impressão que os uniformes de cavalaria usados nos figurinos de filmes de faroeste quando o us army entrava em cena eram os modelos tipo que o us army usou na guerra contra a espanha em 1899 a 1903 e nos 55 dias em pequim.


De: Tadeu Mahfud (TedDbest)
Muito bom!! Gostei da informação!


De: João Luiz
Parabéns Marcos por mais uma "aula" .Muito interesssante e mostra como brinquetos, história e cultura se entrelaçam. Aliás , brinquedos sempre contam histórias, não é?