CAIXAS CASABLANCA E GULLIVER



Como escrevo em um dos tópicos do artigo “Diversos – novembro de 2010”, gosto de colecionar as caixas dos brinquedos tanto quanto gosto de colecionar os próprios brinquedos.

Longe (muito longe) de ser um conhecedor de artes, acho que algumas ilustrações de caixas são verdadeiras obras de arte.

O objetivo deste artigo é reunir em um só local uma coletânea de imagens de caixas de brinquedos de faroeste produzidos pela Casablanca e pela Gulliver. Não tenho a pretensão de que todas as imagens produzidas por estes dois fabricantes estejam aqui colocadas, afinal sempre estão aparecendo coisas novas, que não conhecíamos. No entanto, tentei colocar tantas imagens quanto possível, dentro da sequência em que os brinquedos foram lançados.

A produção da Casablanca iniciou em 1964 com um único produto – o Forte Apache. Em 1966 vieram o Acampamento Apache e a Caravana. Na imagem abaixo, as três caixas “pioneiras”:


Por mais que eu seja um fã ardoroso dos brinquedos produzidos pela Casablanca, tenho que reconhecer que s ilustrações não eram lá essas coisas...

O próximo item que veio se juntar à lista de produtos Casablanca foi a Fazenda Ponderosa. Dá para perceber que o desenho possui mais qualidade do que aqueles apresentados nas demais ilustrações, afinal, a caixa da Ponderosa foi criação do Nelson Reis. Não tenho esta caixa em minha coleção, mas estou sempre atrás dela, afinal foi o primeiro trabalho do Nelson na linha de brinquedos de faroeste. A imagem abaixo, infelizmente, está com resolução muito baixa, o que não permite apreciar toda a qualidade do desenho.

Para fechar a linha Casablanca entraram em cena o Grande Forte Apache e a Virgínia City:

Do período da Casablanca não possuo para mostrar a ilustração da caixa do Forte Apache de plástico.

No final de 1969 surge a Gulliver e, com ela, novas ilustrações. Quero crer que o primeiro Forte Apache lançado pela Gulliver saiu ainda com ilustração da Casablanca, mas não tenho prova deste fato.

Se a Casablanca utilizou os serviços do Nelson Reis em apenas uma de suas ilustrações, a Gulliver, ao contrário, utilizaria seus serviços inúmeras vezes. A primeira ilustração do Nelson foi a do Forte Apache, que estaria nas embalagens do produto até 1977:

Não possuo a ilustração da caixa do conjunto Forte Apache Brincalhões.

Bem no seu início a Gulliver produziu o conjunto But Masterson, logo aposentado. A ilustração da sua caixa pode ser vista na imagem abaixo:

Antes do Acampamento Apache a Gulliver lançou o conjunto Os Apaches, conjunto este que até hoje não consegui para a minha coleção. Uma das ilustrações do conjunto, de 1973, pode ser vista na imagem abaixo. No entanto, no catálogo Gulliver de 73/74 a caixa deste conjunto aparece de forma diminuta com uma ilustração diferente, que nunca vi fora do catálogo. Desta época não tenho para mostrar a ilustração da caixa do conjunto Planície Selvagem.

A Gulliver lançou a antiga Caravana com o nome de A Conquista do Oeste. Em 1976, creio, o conjunto voltou a se chamar Caravana, e manteve este nome até 1979, quando saiu de linha. Apesar dos diferentes nomes, a imagem de ilustração da caixa foi sempre a mesma, até 1979, copiada do cartaz do filme Custer of the West. Imagem abaixo:

A Gulliver aposentou a Fazenda Ponderosa, e passou a chamar o conjunto de Chaparral, série que fazia mais sucesso nos anos 1970. A primeira ilustração da caixa, de Nelson Reis, era bem bonita, mostrando personagens da série:

Inexplicavelmente, em 1977 a ilustração do Chaparral mudou para algo que considero feio, apesar de também ser trabalho do Nelson Reis. A imagem abaixo é da caixa de 1978, mas a ilustração foi a mesma de 77 a 79:


Lá pelos idos de 1975 a Gulliver lançou o conjunto Kung Fu, logo aposentado. Imagem abaixo:


Em 1975 o conjunto Os Apaches foi aposentado, substituído pelo Acampamento Apache, que manteve a mesma ilustração entre 1975 e 1979. Imagem abaixo:


Em 1978 a Gulliver tentou dar uma sacudida na série Far West, mudando o Forte Apache e a embalagem. Não adiantou, e a serie foi aposentada em 1979. Segue abaixo a imagem da embalagem do novo Forte Apache. Saiu o desenho do Nelson e entrou a foto dos meninos. Sim, meninos no plural, afinal o menino da foto do forte pequeno é menor que o menino da foto do forte grande.


Em 1979 a Gulliver manteve o mesmo estilo de ilustração, apenas trocando o forte (sai modelo com guaritas e entra modelo com torres) e as camisas dos meninos.

Na virada de 1979 para 1980 a Gulliver lança o Forte Arizona, com uma bela ilustração de Nelson Reis. A ilustração não é assinada, pois era fortemente “inspirada” na Comansi e o Nelson só assinava o que era 100% criação dele.


Com a entrada nos anos 1980 a Gulliver revoluciona (para pior, na minha opinião) a sua linha de produtos, e entram em cena novos modelos de Forte Apache. Para as caixas saem as fotografias dos meninos e voltam as ilustrações do Nelson Reis, com duas ilustrações diferentes (abaixo) – uma para o forte grande e outra para o pequeno. Isto foi uma novidade, pois até 1977 a mesma ilustração servia para os fortes de todos os tamanhos.

Em 1986 alguma coisa ocorre e a Gulliver volta a acreditar na linha de brinquedos de faroeste. As figuras na cor do plástico dão lugar às figuras de vinil, pintadas à mão. Novos fortes são produzidos, e voltam os conjuntos Acampamento Apache e Caravana, que haviam sido abandonados, e surge uma novidade – o trem Texas Express. Nelson Reis é chamado para ilustrar a nova série, à exceção do Trem, cuja ilustração é cópia de uma aventura do Tenente Blueberry. Seguem as imagens:

Forte Apache – é a primeira e única vez que o General Custer aparece na ilustração deste brinquedo:


Acampamento Apache:


Caravana:


Texas Express:

Na virada para os anos 1990 os fortes de madeira são aposentados para sempre e surge o Forte Apache de plástico, em três tamanhos. Também são aposentados o Acampamento Apache e a Caravana (na forma de grandes conjuntos em caixas) e o Texas Express. Para ilustrar a caixa do novo forte (nos três tamanhos) é escolhido o trabalho do desenhista espanhol Palácios. Segue a ilustração:


O forte nunca mais sofreu alteração no modelo, e já se vão 20 anos. As embalagens, no entanto, mudaram algumas vezes. Primeiro, as caixas de papelão deram lugar a maletas plásticas, com a ilustração abaixo:


Em 2002 a Gulliver manteve o mesmo forte, mas passou a acompanhá-lo com figuras articuladas.  Para este lançamento a caixa voltou a ser de papelão, sendo que as maletas plásticas foram mantidas para os fortes acompanhados por figuras tradicionais da Atlantic:


Lá pelos idos de 2005, mais uma mudança – o Forte Apache grande passou a vir em caixa de papelão, enquanto o modelo pequeno seguiu em maleta plástica:


Por fim, entre 2007 e 2008 os fortes mudam de nome. Deixam de ser “grande” e “pequeno” e passam a se chamar: “Batalha Máxima”, “Super Batalha” e “Batalha Júnior”, todos em maletas plásticas. A ilustração é a que segue:


Com isto encerramos esta coletânea de imagens. Já há algum tempo não encontro o Forte Apache em nenhuma loja de brinquedos, mas o site da Gulliver informa que ainda está em linha.

Até a próxima,

Marcos Guazzelli

Novembro de 2010





Comentários

Enviar comentario

De:
It's good that people can get the business loans and that opens up completely new opportunities.


De: valdirg.freitas@hotmail.com
A primeira ilustração do Nelson Reis pela Gulliver e a ilustração com o General Custer são lindas............. 14/01/2013.....


De: Everton andrade
será que a Gulliver não vai lançar outro forte apache não? poís esses de hoje são muito feios pricipalmente esse articulado que é feito na china feio demais , A GULLIVER DEVIA SEGUIR O EXEMPLO DA COMANSI ESPANHOLA E RESPEITAR OS FÃS DO ANTIGO FORTE APACHE...


De: marcal@centraldespachos.com.br
Marcos...sabe se essas caixas podem ser vendidas separadas ou feitas em alguma gráfica ? Mesmo eu não tendo o molde...tenho 3 Forte apache e não tenho as caixas, como conseguir ?


De: Thiago Avelino
Sem dúvidas, na minha opinião a ilustração do forte de 1986 é a mais linda de todas.


De: Jean Carlos
Belas imagens! Nelson Reis, cujo nome conheci através deste site, é um mestre incontestável. As caixas de antigamente dão de 1000 a zero nas atuais.


De: arqt.cris.haddad1@uol.com.br
E para teminar,a mais bela caixa na minha opinião é a do Forte Gulliver até 1977, é a q. marcou o imaginário de todos nós.


De: arqt.cris.haddad1@uol.com.br
E continuando, quero dizer que feia mesmo é a 2ª caixa do Chaparral, fora do contexto,mas o NelsonReis pode se dar ao luxo depois de tudo o que fez.


De: arqt.cris.haddad1@uol.com.br
Olá pessoal! O Marcos vai ficar bravo comigo mas eu discordo quando ele diz q. as caixas da CB não são bonitas.É um desenho de época, daquela época.


De: dmfinamor@hotmail.com
euacho que as caixas de 1980 são as melhores e os traços se assemelão muito com as da atlantic! e o do texas express é o melhor!