CAVALOS



 

 

O primeiro artigo sobre brinquedos de faroeste que li na internet, lá pelos idos de 2002, era de autoria do colecionador de brinquedos Lolo, e tratava sobre os cavalos da Casablanca e da Gulliver. O artigo foi publicado no pioneiro site Galeria dos Brinquedos.  Acredito que todos que leram, gostaram do artigo, mas algum tempo depois não consegui mais encontrá-lo. Então resolvi escrever este breve texto, em homenagem àquele pioneiro artigo, que despertou em mim o desejo de criar um site sobre brinquedos de faroeste.

Fotografei exemplares dos modelos de cavalos da Casablanca e da Gulliver dos anos 60 e 70 que possuo em minha coleção, e que são os modelos cuja existência eu conheço. Se alguém souber de outros modelos de cavalo, que não os que vão abaixo, agradecerei se puder me enviar a informação por e mail.

Os brinquedos de faroeste produzidos no Brasil beberam bastante na fonte Espanhola. No entanto, geralmente, os cavalos produzidos pelas fábricas Espanholas não eram os mais bonitos. Então, Casablanca e Gulliver utilizaram bastante a fonte “inspiradora” Alemã para seus modelos de cavalos.

1. Cavalos da Casablanca

Inicio com o modelo galopante para soldados e cowboys, com apenas um pé de apoio fixado em base removível (à esquerda, na foto abaixo). Este modelo foi produzido até os primeiros anos da Gulliver. O modelo da direita é o mesmo cavalo, só que produzido pela Trol e/ou Viocema (algumas figuras produzidas por essas duas fábricas eram idênticas entre si). Para diferenciar os Casablanca/Gulliver dos Trol/Viocema há dois fatores: a) o plástico é diferente, como pode ser observado na foto; b) a sela do C/G possui mais de uma cor, ao passo que a sela do T/V possui uma cor só. Agora, se você tiver em sua coleção um cavalo com as características do modelo da direita da foto e dentro dele estiver escrito “Casablanca” (como é o caso do modelo da foto) não se entusiasme. Trol e Viocema utilizavam moldes da então extinta Casablanca.

Na sequência aquele que talvez seja o modelo mais tradicional para soldados e cowboys, sem base, com as quatro patas apoiadas no chão, e que todos nós tivemos na infância. Foi produzido desde o início da Casablanca até 1979, pela Gulliver. A partir de 1980 a Gulliver mudou a linha para figuras da Atlantic. À direita na foto o modelo da Trol e/ou Viocema, produzido ao longo dos anos 70. Como fatores de diferenciação, o plástico e a coloração das selas. Este modelo era produzido na versão tradicional e, no início, na versão com furo na barriga para engate em carroças. Até 1967 eram estes cavalos que engatavam nas carroças da Caravana. No modelo da Viocema, eram os cavalos que também puxavam a diligência do conjunto Gunsmoke.

Mas atenção, neste modelo de cavalo é possível encontrar exemplares da Trol e Viocema com duas cores na sela:

A seguir, os belos cavalos índios que a Casablanca produziu com inspiração em modelo da Elastolin. Muito bonitos, mas possuem apoio apenas em uma das extremidades, em base removível. Com o tempo, o peso do cavalo e do cavaleiro vão fazendo efeito e o pino de engate na base tende a quebrar. Possuo vários cavalos deste modelo, mas não coloco cavaleiros em nenhum deles, para não forçar. Este mesmo modelo de cavalo foi utilizado pela Trol na década de 70 para ser o cavalo do Zorro.

Na mesma linha do modelo acima, também com inspiração na Elastolin, a Casablanca produziu o modelo empinando, que considero bastante raro. Este modelo tem um problema de equilíbrio, cai com facilidade. No modelo da foto colei uma base de madeira para evitar as quedas constantes.

Por fim, os tradicionais cavalos índios, produzidos pela Casablanca e pela Gulliver até 1979, e que todos nós tivemos. À direita na foto o modelo da Trol e/ou Viocema. Para diferenciar os dois o plástico e a cor do “cobertor”. Nos modelos G/C há três cores, nos modelos T/V duas cores. Estes cavalos também foram feitos com furo na barriga para encaixe de carroça. Podem ser encontrados na Caravana da Casablanca (às vezes), na diligência do Gunsmoke (às vezes) e nas carroças da Viocema.

2. Cavalos da Gulliver

A partir de 1968 a Casablanca equipou a Caravana com cavalos “gordos”, cópias da Elastolin. A Gulliver deu sequência a este procedimento até 1985, quando mudou os cavalos de carroça. De 1980 a 1985 os cavalos eram sem pintura. São cavalos em posição de galope, sendo que ambos eram produzidos em duas versões: para carroça (sem sela e com furo na barriga), e para soldados e cowboys, com sela e base removível.

Na foto abaixo, à direita, o mesmo modelo utilizado em carroças (acima), só que na versão para soldados e cowboys. À esquerda da foto um modelo muito bonito para soldados e cowboys, com base removível, que também era o cavalo do Fantasma, em outra série da Gulliver.

O cavalo à direita na foto acima possui um “primo” bem parecido, só que com base fixa. Considero este um modelo raro:

Abaixo o modelo em marcha, com base fixa, que pouca serventia tinha nas nossas batalhas, servia mais para desfiles...

Parecido com o modelo em marcha, o modelo parado, abaixo, que pelo menos servia para a observação do campo de batalha. Modelo tradicional da Elastolin, também foi utilizado no conjunto Independência ou Morte. Este modelo não possuía base.

Também “inspirada” nas fábricas Alemãs, a Gulliver produziu nos anos 70 uma bela sequência de cavalos para índios, três com bases fixas e um sem base. Seguem as imagens:

Por fim, um modelo que já vi pessoas dizendo ser da Gulliver, mas que nunca vi em nenhum dos seus conjuntos. Este modelo, bem feio, lembra alguns dos cavalos Espanhóis. Por via das dúvidas...mantenho algumas unidades deste modelo na minha coleção...

Bem, era o que eu tinha para falar sobre cavalos.

Até a próxima,

Marcos Guazzelli

Maio de 2010





Comentários

Enviar comentario

De: framptonbh@yahoo.com.br
Preciso de algumas informações. Achei recentemente, alguns itens do Fort Apa che de 1965/1966, que eu tinha.(Esse fort Apache, que eu me lembro, tinha a paliçada de madeira vermelha). Qual é esse? O primeiro lançado pela Casablanca? São dois cavalos, uns 8 soldados e o Rin-tin-tin. Alguns tem a identificação casablanca, e outros não. Por não terem, significa que não são Casablan ca? Não entendo, pois, os último produto que ganhei foi a Caravana,acho que em 1969/1970. Obrigado!


De: Marcos Guazzelli
Mauricio, do comentário abaixo, tentei lhe enviar e mail, mas retornou automaticamente. Gostaria muito de conhecer sua história para publicar aqui no site. mguazzelli@uol.com.br


De: thaismundodigital@hotmail.com.br
tenhos mmuitos hominhos e indios e bichinhos guliver guardado , minha mãe e minhas irmas pintavan para a guliver nos anos 70 e as sobras dos milheiros ficavam para mim mauricio


De: lima-np@hotmail.com
tenho o zorro da trol ,,,se alguem quiser trocar por alguns cavalos estou a disposicao,,,veja em classificados


De: buono@policiamilitar.sp.gov.br
este último modelo de cavalo , se vc tiver um preto , estou interessado em comprar , isto é , se vc estiver interessado em vender , segue meu e-mail


De: Henrique Nogueira
Marcos, eu nunca tinha visto aqueles lindos cavalos índios com base fixa!


De: Nei Souza
Caramba , que belo site!!!!! Encontrei o site hoje numa busca por forte apache que por sinal eu era fascinado quando criança!!!


De: Luiz C.Pagliarini
Na Espanha foi lançado o último cavalo só não sei o fabricante, preciso pesquisar.


De: Luiz C.Pagliarini
Este último cavalo, quem comentou que tinha no seu fort apache nº1 é o Miguel cerrato, eu também tenho e comprei 7 num lote gde. de Casablanca.


De: Rodolfo
matéria muito boa, estou enviando por email fotos de um cavalo de indio que não esta relacionado na materia, grande abraço


De: jorgetitas
Marcos vc ta de parabens so tou um pouco de ciume porquer não tenho esse monte de cavalos no meu hiprodomo,parabens .


De: Raul
Artigo muito bom!Realmente este último cavalo não me lembro nos meus conjuntos da época.Abraço


De: Marcos Avellar
De fato, este último cavalo se parece muito com os da marca espanhola SOTORRES, que coleciono também. Abraço, MAC


De: Marcos Avellar
Parabéns pelo artigo, que li com avidez, pois sempre quis saber mais sobre cavalos Casablanca/Gulliver. Abs, MAC


De: Alexandre
Oi, Guazzelli. Acabei de te enviar o artigo do Lollo (março/03). Se você quiser mais alguma coisa do que foi publicado na Galeria, é só avisar. Alê