OS GIGANTES DE MARX



O Newton Celli, colecionador aqui de Curitiba, conta que em meados dos anos 60 já era consumidor dos brinquedos Casablanca quando, em visita às Lojas Americanas, encontrou figuras de 15 cm e ficou “hipnotizado”.

Eram figuras da Louis Marx americana.

Mas, infelizmente, o Newton teve poucas figuras “gigantes” à época, e atualmente corre atrás delas em sites internacionais.

Como o Newton bem lembra, eram outros tempos. Brinquedo, só se ganhava no natal e no aniversário. Como o aniversário dele é em janeiro, muitas vezes o presente do natal já ficava valendo pelo aniversário...

Algumas imagens dos “gigantes” do Newton:

Por fim, uma imagem da figura do Daniel Boone que o próprio Newton está confeccionando para venda (Newton Celli [newtoncelli@yahoo.com.br]):

Louis Marx and Company foi uma fábrica americana de brinquedos, que operou de 1919 a 1978. Foi inovadora, e lançou brinquedos que marcaram gerações de americanos, inclusive o primeiro Forte Apache (com esta denominação) em 1952. Na década de 50 era a maior fabricante de brinquedos do mundo.

A partir do início da década de 60 a empresa começou a declinar, sendo vendida para a Quaker Oats Company em 1972. A Quaker também era proprietária da Fisher-Price. Em 1976 foi novamente vendida, desta vez para a Inglesa Dunbee-Combex-Marx, que entrou em falência em 1978. No processo de liquidação, os moldes, marcas e patentes da Marx acabaram nas mãos de diversos outros fabricantes pelo mundo.

Um das razões apontadas para o declínio da Marx é a pouca atenção que deu para o seguimento de brinquedos eletrônicos.

Outra razão é a falta de investimentos em publicidade (principalmente televisão). Em 1955 a Marx faturou 50 milhões de dólares e investiu apenas 312 dólares em publicidade (não foi erro de digitação). No mesmo ano a Mattel teve receita de 6 milhões de dólares, e investiu 500 mil dólares em publicidade.

Até a próxima,

Marcos Guazzelli
Maio de 2009





Comentários

Enviar comentario